Quando a chuva der uma trégua, cuide das infiltrações

29 de janeiro de 2010

Tão logo a estiagem se estender por alguns dias, é indispensável sanar problemas causados pelos temporais.

A chuva implacável que vem causando sérios problemas em inúmeras cidades brasileiras traz conseqüências que incluem avarias em telhados e infiltrações. Infelizmente, enquanto a chuva não der uma trégua, é impossível ao profissional subir no telhado escorregadio. Contudo, uma estiagem de uma semana será suficiente para que o telhado possa ser alvo de uma vistoria séria, que identifique os danos . Perdurando a estiagem, consertar os estragos é indispensável, pois infiltrações e vazamentos podem colocar em risco a estrutura do imóvel e, como conseqüência, a segurança dos seus ocupantes.

O profissional contratado para a vistoria deve verificar atentamente as condições do telhado, em especial o estado das vigas de sustentação. Estas, no caso de não apresentarem bom estado, devem ser substituídas, assim como as telhas avariadas, recomenda a Weber Quartzolit, uma das principais fabricantes internacionais de produtos para a construção civil.

Rufos (canaletas colocadas nos pontos de encontro entre o telhado e as paredes) e calhas devem ser limpos. Lajes também devem ser vistoriadas e, se ainda não receberam impermeabilização para evitar a infiltração, é importante providenciar este acabamento (externo tão logo cessem as chuvas; interno a qualquer tempo). Feita a impermeabilização, é fundamental verificar se o escoamento de água é eficiente, o que pode ser observado logo após uma forte chuva.

Além das infiltrações, há outros problemas trazidos pelas chuvas, que podem ser amenizados por simples atitudes, com a contribuição de cada cidadão. Por exemplo:cuidados com ralos e bueiros. Não deixe que o lixo ou qualquer outro material obstrua o caminho das águas. Se notar qualquer entupimento nos bueiros da vizinhança, avise a empresa responsável pelo saneamento em sua cidade.

Precauções para imóveis em construção ou reformas – A Weber Quartzolit comenta que, no caso de construção ou reforma, nunca é demais lembrar ao responsável pela obra que as paredes devem ser protegidas da água da chuva. Para tanto, uma solução é aumentar os beirais. Providenciar um caimento que direcione a água da chuva para longe das paredes; eliminar pontos de acúmulo de água; e corrigir eventuais infiltrações nas aberturas das janelas também são recomendações da empresa.

As recomendações da Weber Quartzolit fazem parte das instruções para o correto uso dos produtos da sua linha destinada a impedir infiltrações (Recuperação Anti-umidade, Impermeabilizante Camada Fina e Revestimento, por exemplo, para acabamentos internos e externos).

Chuva não é a única responsável – Contudo, a Weber Quartzolit chama atenção para o fato de, mesmo realizando todas as medidas de precaução, muitas vezes os moradores são surpreendidos com as indesejáveis infiltrações. “Caso isso aconteça, procure identificar o tipo de umidade, e escolha o produto mais adequado para sanar definitivamente as infiltrações e a umidade, e contrate sempre profissionais qualificados”, reforça a fabricante.

De acordo com William Aloise, diretor de marketing da Weber Quartzolit, as infiltrações, normalmente, ocorrem em construções feitas de maneira inadequada: “Muitas residências têm problemas em sua estrutura. Por isso, ocorrem as infiltrações. É preciso criar o hábito de proteger as construções com impermeabilizantes, que proporcionam maior segurança. Mas é importante lembrar: os impermeabilizantes não funcionam quando não são de boa qualidade; ou aplicados de maneira inadequada”, enfatiza o executivo.

Fonte: ImovelWeb

Saiba como planejar a compra da casa própria em 2010

15 de janeiro de 2010

Especialista dá dicas para \’preparar o bolso\’ para a compra do imóvel. Ideal é que a entrada seja de pelo menos 30% a 40% do valor.


Se nos Estados Unidos o setor imobiliário passou 2009 ainda patinando, por aqui o baque foi bem menor – e a casa própria virou realidade para muita gente. Só na Caixa Econômica Federal, foram mais de 750 mil imóveis financiados até novembro, atingindo o valor recorde de quase R$ 40 bilhões.

Assista o vídeo no site da globo http://bit.ly/5zggbz : “Como não deixar os sonhos se tornarem dor de cabeça”.

Para quem ainda não faz parte desse grupo – mas quer fazer – não há melhor hora para se comprometer que neste começo de ano. Planejar a compra da casa própria pode exigir mais dedicação do que frequentar a academia, mas o resultado pode ser mais duradouro que a barriga tanquinho. 

É bom saber, no entanto, que a compra de um imóvel é um plano de longo prazo, e a promessa feita no Ano Novo pode só virar realidade em 2013. “Durante um ano é muito pouco provável conseguir juntar o dinheiro necessário para dar entrada em um imóvel. Em geral a pessoa acaba encarando como um projeto de curto prazo, mas a casa tem que ser de três, quatro anos”, diz Luiz Jurandir Simões, consultor da Fipecafi. 

Antes de tomar a decisão, é preciso saber se a compra da casa própria é a decisão certa. “O imóvel, pela sua falta de liquidez, ele tem que estar casado com uma estratégia de mais longo prazo. Se você almeja ir trabalhar em outra cidade por dois anos, você não vai comprar apartamento lá. Se seu plano de longo prazo é ficar aqui, compra. Você tem que olhar as circunstâncias ao redor da sua vida e seu plano de médio e longo prazo. Nunca compre se o seu plano está muito indefinido”, ensina Simões. 

Fonte: G1 SP

Saiba como garantir a liberação rápida do financiamento da casa própria

19 de outubro de 2009

credito

Documentação incompleta é um dos fatores que mais atrasam a concessão do crédito. Confira o que cada parte envolvida na negociação deve apresentar e garanta a compra da casa própria o mais rápido possível.

Se você quer comprar um imóvel, mas não dispõe de todo dinheiro necessário, a melhor saída é recorrer a um financiamento bancário. Depois de analisar todas as condições de financiamento oferecidas pelas instituições, decidir o valor do imóvel que cabe no seu orçamento e escolher a melhor opção para o seu caso, chega o momento de viabilizar a concessão de crédito.

A liberação de um financiamento imobiliário pode ocorrer em 15 dias, mas, para isso, é fundamental que toda a documentação exigida pela instituição esteja em ordem. Confira abaixo quais são os documentos solicitados do comprador, do imóvel e do vendedor e garanta a compra de sua casa própria o mais rápido possível:

Documentos do(s) comprador(es):
– Carteira de identidade
– CPF
– Comprovante de endereço (contas de água, luz ou telefone fixo)
– Certidão de nascimento (somente para solteiros)
– Comprovante de estado civil (para casados, divorciados, viúvos)
– Escritura de pacto antenupcial (somente para casados)
– Comprovante de estado civil para união estável (em caso de união estável) – Comprovante de renda (Assalariados: três últimos holerites, cópia da carteira de trabalho. Não assalariados: comprovar capacidade de pagamento por meio dos três últimos pró-labore, extrato bancário, cartão de crédito, etc.)
– Declaração de Imposto de Renda
– Certidão conjunta emitida pela Secretaria da Receita Federal e Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (RF/PGFN – débitos relativos a tributos federais e à dívida ativa da União)

Documentos do imóvel:
– Escritura (ou outro título aquisitivo pelo qual o vendedor adquiriu o imóvel)
– IPTU
– Certidão de inteiro teor da matrícula com negativa de ônus (expedida pelo serviço de registro de imóveis)
– Certidão negativa de impostos e taxas municipais
– Declaração de medidas e confrontações (casas e sobrados)
– Declaração de não existência de débitos condominiais (apartamentos)
– Certidão negativa de foro e/ou laudêmio
– Declaração/Justificativa quando o valor de venda do imóvel for inferior ao valor de avaliação

Documentos do(s) vendedor(es):
– Carteira de identidade
– CPF
– Comprovante de endereço (contas de água, luz ou telefone fixo)
– Certidão de nascimento (somente para solteiros)
– Comprovante de estado civil (para casados, divorciados, viúvos)
– Escritura de pacto antenupcial (somente para casados)
– Comprovante de estado civil para união estável (em caso de união estável)
– Certidão conjunta emitida pela Secretaria da Receita Federal e Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (RF/PGFN – débitos relativos a tributos federais e à dívida ativa da União)
– Certidão negativa dos distribuidores forenses referentes a Ações Cíveis
– Certidão negativa dos cartórios de protestos
– Certidão negativa da Justiça Federal

Fonte: ImovelWeb

FGTS vale para pagar consórcio

16 de outubro de 2009

O governo federal decidiu ontem (15/10) permitir o uso do dinheiro depositado nas contas vinculadas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para quitação, total ou parcial, do saldo devedor em consórcios de imóveis residenciais. Mas somente as pessoas que já adquiriram os seus imóveis por meio de consórcio poderão usar o dinheiro do Fundo. Também foi permitido o uso das contas para abater até 80% do valor das prestações restantes no consórcio.

A autorização, publicada em lei sancionada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva anteontem, só entrará em vigor após regulamentação que deverá ser feita pelo Conselho Curador do FGTS, órgão gestor desse patrimônio dos trabalhadores. O conselho se reúne no próximo dia 27 de outubro, mas os técnicos não acreditam que o tema estará maduro para entrar em pauta.

Governo e parlamentares aproveitaram o texto Medida Provisória 462, que originalmente destinava R$ 1 bilhão de para municípios que perderam recursos com a crise financeira, para incluir essa permissão como um “contrabando”. Essa é a denominação no jargão político para a estratégia de inclusão de temas diferentes do principal numa norma legal.

O secretário-executivo do Conselho Curador do FGTS, Paulo Furtado, disse ontem que a medida apenas estende para a modalidade consórcio todas as regras de utilização das contas do FGTS hoje já permitidas nos financiamentos imobiliários.

“Está plenamente dentro da missão institucional do fundo”, comentou. Atualmente, o cotistas do FGTS já podem usar o fundo em consórcios imobiliários, mas apenas no momento de dar o lance para ter acesso a uma carta de crédito ou para completar o valor da carta.

O uso do FGTS nessas operações só será permitido se o imóvel estiver dentro de regras do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), entre elas, ter valor de até R$ 500 mil e ser exclusivamente de uso residencial.

Fonte: Jornal da Tarde

Parabéns a todos os professores

15 de outubro de 2009

aomestre

“Àqueles que quando deveriam ser simplesmente professores, foram mestres, nos transmitindo seus conhecimentos e experiências; que quando deveriam ser mestres foram amigos e em sua amizade nos compreenderam e nos incentivou a seguir nosso caminho, expressamos os nossos maiores agradecimentos e o nosso profundo respeito, que sempre serão poucos diante do muito que foi oferecido.”

Consumidor ainda está pouco à vontade para comprar casa e carro, revela ACSP

7 de outubro de 2009

Em setembro, de acordo com o INC (Índice Nacional de Confiança), divulgado pela ACSPAssociação Comercial de São Paulo) nesta quarta-feira (7), os consumidores ainda demonstram se sentir pouco à vontade para comprar um carro ou uma casa, com o índice voltando a subir.

Assim, a média dos que se sentem muito menos à vontade, passou de 47 pontos em agosto para 48 em setembro. Já a média dos que estão muito mais à vontade ficou em 29 pontos no mês passado, com avanço de um ponto em relação ao índice da medição anterior (28 pontos).

Compras menores
Ainda segundo o estudo, o INC dos consumidores que se mostraram um pouco ou muito menos à vontade para realizar compras menores, como a de um fogão ou uma geladeira, em setembro, manteve os 37 pontos conquistados no mês anterior.

Em contrapartida, a média dos brasileiros que afirmaram se sentir muito mais à vontade para comprar esse tipo de produto agora do que há seis meses teve alta de 41 para 43 pontos, entre o oitavo e o nono mês de 2009.

Região e classe social
Ao considerar as compras maiores, como as de um carro ou casa, a pesquisa aponta que a classe social que se mostrou mais à vontade foi a AB, com 44% das respostas, contra 35% da C e 22% da DE. A região Sul apresentou 39% da população declarando estar muito mais à vontade com as compras maiores. Sudeste e Norte/Centro-Oeste ficaram, respectivamente, com 38% e 30% cada. Na região Nordeste, o índice foi de 18%.

No caso dos itens para a casa, como fogão e geladeira, a maior disposição veio novamente da classe AB, que apresentou índice de 55%. Na C, o apurado foi de 51%, e na DE, de 34%. Por região, o Nordeste apresentou o maior percentual de pessoas muito mais à vontade para realizar este tipo de aquisição, de 47%.

Fonte: Infomoney

Dia das Secretárias !

30 de setembro de 2009

Dia das Secretárias

Parabéns a todas as secretárias do Brasil !

Não poderíamos perder a oportunidade de agradecer a todas vocês por deixar nossa vida mais organizada !

Seja na imobiliária, no consultório médico, na escola ou onde for, sempre nos deparamos com uma secretária na maioria das vezes sorridente e gentil.

Estas profissionais fazem de tudo para nos ajudar e por assim resolver os mais diversos problemas que surgem na rotineira vida do ser humano.

Obrigado a todas vocês !

E parabéns pelo seu dia !

São Caetano do Sul – Eleita melhor cidade do Brasil para se viver !

29 de setembro de 2009

saocaetanodosul

Quando se fala em qualidade de vida é impossível não citar como exemplo a cidade São Caetano do Sul. O município pode se orgulhar de boa parte de seus indicadores sociais, que refletem a preocupação da Administração em realizar políticas públicas de qualidade e condizentes com a necessidade da população.

Para citar apenas alguns, São Caetano detém o título de melhor cidade brasileira em termos de Índice de Desenvolvimento Humano (cerca de 0,919) de acordo com a ONU, possui o menor Índice de Exclusão Social do país (0,864) e está entre os 60 municípios com o maior Índice de Desenvolvimento Infantil (0,895), de acordo com  o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

Confira essa notícia !

Venha morar em São Caetano do Sul !

E o seu imóvel você encontra aqui: http://www.cineramaimoveis.com.br

IGP-M interrompe sequência de quedas e sobe 0,42% em setembro

29 de setembro de 2009

Todos os componentes do índice indicaram aceleração nos preços.
Indicador é usado como base de reajuste da maioria de contratos de aluguel.

O Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) interrompeu em setembro uma sequência de seis meses seguidos de deflação, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta terça-feira (29).

O indicador, usado como base de cálculo dos reajustes na maioria dos contratos de aluguel, avançou 0,42% neste mês, após queda de 0,36% em agosto.

A FGV atrasou a divulgação do indicador, que estava prevista para as 8h, devido a problemas em seu site.

De acordo com a FGV, a inflação se deu em razão de uma aceleração em todos os três componentes.

Entre os componentes do IGP-M, o Índice de Preços por Atacado (IPA) teve elevação de 0,53% em setembro, após cair 0,61% em agosto.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 0,28% neste mês, ante alta de 0,16% no anterior.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) avançou 0,07% em setembro, contra variação positiva de 0,01% em agosto.

No ano, o IGP-M acumula queda de 1,61% e nos últimos 12 meses, de 0,40%.

Fonte: G1.globo.com

Molduras para fotos especiais

9 de setembro de 2009

1Se você tem imagens bonitas guardadas em algum canto da casa, acaba de achar uma utilidade para elas: transforme-as em lindos quadros. Uma parede estreita, como a deste canto de leitura, ganha realce com os quadros dispostos na vertical (a decoração é de Christiane Laclau e Carolina Wambier). Sobre um sofá, prefira o arranjo horizontal. Com materiais encontrados à venda em papelarias, você elabora as molduras.

Material:
-Duas placas de foam board (isopor revestido de papel cartão) medindo 34,5 x 32,5 cm
-Acetato
-Estilete bem afiado
-Cola em bastão e cola branca

2Prepare a moldura: meça 8,5 cm (a medida do passe-partout) a partir das bordas da placa de foam board, corte e reserve o miolo. Aplique a cola em bastão no foam board não cortado, junte a foto e coloque a folha de acetato por cima.

3

Arremate: depois de colar o passe-partout sobre a foto protegida pelo acetato, corte do foam board restante duas tiras de 17 x 2 cm e fixe atrás do quadro. Essas tiras, em relevo, evitam que ele encoste na parede.

Fonte: casa.abril.com.br/


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.